BLOGGER TEMPLATES - TWITTER BACKGROUNDS

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

As almas existem

Tudo começou quando, meu vizinho, (um idoso) parente de longe dos meus pais, faleceu. Como era minha mãe quem cuidava dele quando estava doente de cama, foi ela quem foi a responsável pelo funeral. Ele faleceu ao decorrer do meio dia, no hospital, no dia 08/02/00. Logo após o enterro; que foi às 9:00 pm; meus pais retornaram à nossa casa. A cerca de 10:00 pm resolvi ir deitar; quando comecei a pegar no sono, ouvi um tipo de choro muito estranho, mas não reparei e resolvi dormir, mas estava com muito medo.De repente, durante o horário de meia noite, todos da casa começaram a ouvir...tum...tum... na parede, neste exato momento todos se levantaram. Meu pai, com muita coragem, resolveu pular a janela de seu quarto e foi procurar no corredor ao redor da casa, para ver se encontrava o que causava aqueles estranhos barulhos. Depois de não conseguir encontrar nada. Ele resolveu ir até a casa, onde, o falecido morava junto com suas irmãs. Chegando lá suas irmãs também assustadas ouviram aqueles barulhos estranhos. Sem saber o que fazer, meu pai resolveu ir até o barracão dos fundos da casa onde o falecido costumava encontrar-se, e lá chegando, os barulhos eram mais fortes ainda: tummm...tummm...tummm...Mas não encontrou nada lá, neste momento tudo se acalmou. Como meu pai não encontrou nada, resolveu, voltar para nossa casa e tranqüilizar a todos. Logo após, todos já se encontravam mais tranqüilos, então resolvemos ir dormir. No dia seguinte, resolvemos comentar com toda vizinhança sobre a noite passada, e chegamos a conclusão que somente nós escutamos os barulhos durante a noite, e ninguém mais da vizinhança ouviu.Às vezes, a cada dia 8 de cada mês ouço ainda aquele estranho choro e aqueles barulhos nas paredes. Agora se foi ou não a alma penada do falecido vizinho ainda não chegamos a uma conclusão. Só sabemos que está noite nunca mais será esquecida...

2 comentários:

kelita disse...

ai mãe.....

Juliana disse...

Que medo.... Chama o padre Quevedo